quarta-feira, 18 de março de 2009

Onde Está a Igreja?


Lucas 5.10: “Disse Jesus a Simão: Não temas; doravante será pescador de homens”.
Após estas palavras, Simão começou a freqüentar a faculdade de Jesus. Da mesma forma que milhares de peixes foram pegos ali no mar da Galiléia, milhares de almas se converteriam três anos depois através da pregação do mesmo Simão agora já formado.
Mas as minhas palavras nesta semana não se limitarão à observância dos exemplos bíblicos, mas sim à uma lição que o Pai me concedeu nestes dias.
Gosto muito de paisagem e natureza, e ver o pôr-do-sol é algo maravilhoso para mim, visto que nunca tenho ânimo para acordar cedo e ver o romper da manhã.
Nestes últimos dias encontrei um lugar especial. Um local que se tornará um futuro bairro, tranquilo, carros não passam por ali, pessoas não passam por ali. Um lugar perto de tudo, com uma rua asfaltada e ao mesmo tempo com uma vista maravilhosa da cidade e do céu.
No dia em que estive neste lugar pude falar profundamente com Deus por mais ou menos uma hora. Louvei em voz alta, gritei e declarei o meu amor por Ele, orei naquele lugar. Senti a presença Dele e saí dali maravilhado.
Quando temos experiências com o Pai, sempre queremos que elas se repitam. Então, uma semana depois estive no mesmo lugar. Mas por causa de outros eventos acabei chegando tarde, o sol já havia se posto e a penumbra tomara conta do lugar.
Mesmo assim, por breves minutos, resolvi falar com Deus e enquanto começava minhas palavras vi do outro lado da avenida deserta alguém que aproveitava o fim de tarde para caminhar. Olhei de rabo de olho e continuei a falar com Deus, um tanto surpreso. Pois da última vez não tinha visto nenhuma alma vivente naquele lugar.
Pensei que deveria não orar alto ou gritar desta vez. Continuei minhas palavras agradecendo inclusive pela benção que não veio e entregando nas mãos Dele. Foi aí que vi a mesma pessoa voltando lá do outro lado da avenida.
Virei a cabeça e olhei. A pessoa, um homem, do outro lado soltou um cumprimento que foi respondido com um aceno meu. Então ele perguntou o que eu estava fazendo e eu gritei que estava apreciando a paisagem.
O homem então atravessou a avenida e insistiu na pergunta, acrescentando se eu estava procurando alguma coisa...
Fiquei um pouco preocupado achando que não fora uma atitude sábia estar ali naquele horário, mas em breve saberia que o Pai me levara até aquele local.
Entendi de que tipo de gente se tratava e novamente repeti que estava apreciando a paisagem e refletindo sobre algumas coisas.
O homem, inconformado, perguntou o que me levara a estar naquele local, sozinho, olhando a paisagem, sem realmente querer algo... minha resposta: Deus.
A partir dali começamos um diálogo onde aquele homem confessou ser homossexual e que já fora casado, mas que agora, com 37 anos, estava nesta vida. Já havia chorado muito, já havia pedido ajuda a Deus, já havia visitado duas igrejas conhecidas na cidade, conversara com um pastor que acabou tendo atitude inconveniente com ele. Hoje, mesmo querendo mudar estava daquele jeito.
Tivemos um diálogo de mais ou menos quinze minutos onde pude falar do Pai para ele. E após conversarmos ele se despediu e saiu apressado na noite, eu olhei pro céu escuro e agradeci a Deus pela oportunidade de falar do Seu amor e quando subi na moto não mais vi o homem.
Fiquei pensando depois em tudo que poderia ter falado a mais e não falei e procurei me consolar em pensar que se Deus me escolheu pra estar ali é porque Ele sabia que eu falaria o que era da Sua vontade.
Mas comecei falando aqui de um exemplo de pescador de homens e de repente mudei para descrever um fato que ocorreu comigo, você quer saber aonde eu quero chegar?
Simples, onde está a igreja?
Meia hora depois da conversa com aquele homem eu estava refletindo sobre ele ter entrado pelas portas de duas igrejas conhecidas e sérias e ainda continuar na vida de pecado, uma pessoa que demonstrou sede, que não escondeu o pecado, que confessou a mim a vontade de casar de novo, ser pai, ser avô.
Um dedo fariseu pode estar estendido agora acompanhado de palavras do tipo: “não perseverou”, “não quis abandonar o pecado”, “rejeitou o evangelho”. Porém a minha pergunta continua sendo a mesma: onde está a igreja?
Se a atitude dos irmãos que estiveram do lado daquele homem fosse diferente... Se tivessem orado com ele, se tivessem amado aquele homem, discipulado e ao invés de condená-lo mostrassem os imensos braços de misericórdia de Jesus, será que ele estaria ali, daquele jeito, procurando alguém para ter relações ilícitas?
As pessoas têm sede e muitas vezes vêm cambaleando até nós pedindo um pouco da Água Viva, e qual tem sido o nosso comportamento? Aquele rosto diferente que se assenta do nosso lado no domingo à noite, será que ele é uma alma com sede? E será que temos demonstrado o amor pelo qual Jesus afirmou que seríamos conhecidos?
Imagine comigo se hoje o vento do Espírito tocasse pessoas pelas ruas da cidade e no próximo culto sem nenhum trabalho evangelístico, sem nem evento especial, os lugares da igreja estivessem tomados por homossexuais, prostitutas, drogados, bêbados, mendigos, meninos de rua e pedintes de semáforo. Qual seria a nossa reação? Daríamos glórias a Deus e cuidaríamos daquelas almas ou gritaríamos: “misericórdia!”, tapando nosso nariz e nossos olhos e verificando se nossa carteira e celular estão conosco?
Ah, meus queridos, não é minha intenção ofender o corpo de Cristo, mas sim passar a vocês o que Ele falou comigo. Pessoas “socialmente normais” estão tão perto de nós e muitas vezes não damos o mínimo de atenção perguntando seu nome e ligando quando não aparecem na igreja; e quanto a esses “diferentes” pelos quais Jesus também morreu?
Na pesca maravilhosa ocorrida no mar da Galiléia, quando Pedro viu que não daria conta, chamou o barco dos amigos. Da mesma forma não perdeu a oportunidade de pescar quase três mil almas que se converteram na descida do Espírito Santo batizando a todos.
A princípio achei que Deus tinha me usado pra ajudar aquele homem, mas na verdade, Deus usou aquele homem para eu entender que vida Cristã é muito mais...
Deus abençoe.


Autor: Call Moreira
Correções: Elaine Massuco

4 comentários:

Thomas disse...

Parabéns CALL que DEUS continue te usando sempre!!

Abração do seu amigo aqui.

Thomas

Elaine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elaine disse...

Realmente temos falhado muito como igreja, que Deus tenha misericórida de nós e que o verdadeiro amor brote em nossos corações...

Fernanda disse...

É querido Call, vc levou uma marretada de Jesus, assim como tenho levado nos últimos dias... estou lendo "Maravilhosa Graça" e o confontro está cada dia maior. Mas o que de fato tem mudado em minha vida? confesso que pouco, muito pouco... mas "uma coisa faço,esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus".
Deus abençoe amado!